Os Indígenas Portugueses

Será este o meu fim?
Temo que sim.
E o que será da montanha, regressará alguma vez ao que foi outrora?
Não, mas enquanto o Sol brilhar sobre nós, esta montanha perdurará, mas isso não é grande consolo, pois não?
Não para nós.
[Andrómeda, Zé Burnay]

Numa das suas últimas decisões em 2019, o Governo de António Costa, apoiado pela Esquerda Portuguesa (PS, PCP e BE), aprovou o aumento em 1200 hectares da área destinada a estufas no Perímetro de Rega do Mira. Este alargamento irá trazer inevitavelmente um aumento da população imigrante, para a qual já hoje não há suficientes respostas habitacionais e sociais. Um acréscimo desmesurado da população imigrante não é referido no teor da resolução publicada pelo anterior Governo quando já se constata algum alarme social na região. Num debate realizado na Assembleia Municipal de Odemira no final de 2018 admitia-se a possibilidade de poderem concentrar-se neste concelho 36 mil imigrantes, um número superior à população de residentes naturais. Numa altura em que há escolas no concelho de Odemira que funcionam porque são frequentadas por filhos de imigrantes, em que familiares dos imigrantes já se encontram em Odemira, inclusive gerações, “vão concentrar-se os trabalhadores longe dos aglomerados populacionais, dificultando ou impedindo a sua integração na comunidade local”, afirma Alberto Matos, dirigente da Solidariedade Imigrante. [Público (2019)]
A secretária de Estado para a Integração e as Migrações desafiou os centros de migrantes locais a divulgarem informação para que os estrangeiros se recenseiem até junho e possam votar nas próximas eleições autárquicas. Na inauguração do Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes de Leiria, Cláudia Pereira lembrou que as eleições autárquicas “são as únicas onde os imigrantes podem votar”. “Podem votar nas autárquicas imigrantes da União Europeia, do Brasil e de Cabo Verde. Desafio a que os CLAIM informem os imigrantes que têm de se recensear nas juntas de freguesia até final de junho. Tem de ser até 60 dias antes das eleições. Se não se recensearem depois não poderão votar”, alertou a secretária de Estado. Cláudia Pereira lembrou que o Alto Comissariado para as Migrações também está a divulgar essa informação. [Observador (2021)]

Portugueses Retornados de África em 1975

No século XX, expulsos do Império. Em XXI, expulsos de Portugal.

Leave a Reply