Um Centro

“E tu, o que é que vais fazer?” Acompanhei-a à porta: de facto, dei-me conta de que não tinha a mais pequena ideia. Beijei-a suavemente nos lábios e respondi: “Não há um Israel para mim.” Um pensamento pobre, mas exato. Depois, ela desapareceu no elevador.

Toda a civilização precisa de um centro.

Leave a Reply