Keep It Simple

Computers are key to flying the plane. But instead of taking advantage of simplicity, the F-35 is heading in the other direction: its complexity can be gleaned from its 24 million lines of computer code, including 9.5 million on board the plane. The F-35 computer code, government auditors say, is “as complicated as anything on earth”. – http://content.time.com/time/magazine/article/0,9171,2136312-4,00.html

Projecto Roquette

Em 1996 o Sporting Clube de Portugal iniciou um novo ciclo de vida conhecido como “Projecto Roquette”. Globalmente, o projeto pretendia criar uma dinâmica de modernização desportiva, patrimonial e organizacional do clube. Contudo, em Fevereiro de 2006, João Rocha numa entrevista ao Record revelou uma face mais negra do projeto, nomeadamente um plano para neutralizar o Benfica com a ajuda do Porto de Pinto da Costa.
 
RECORDUm projecto que encheu de esperança todos os sportinguistas…
JOÃO ROCHA – O Projecto Roquette liquidou o Sporting. Ninguém soube o que era o projecto, porque ele não dizia. Sabia-se, apenas, que era uma dezena de sociedades, dirigentes e funcionários superiores a ganhar centenas de milhares de contos. O projecto foi reduzir os sócios de mais de 100 mil para pouco mais de 30 mil, foi acabar com as modalidades amadoras, foi vender património, foram dezenas e dezenas de milhões de contos de prejuízo que não aparecem nos resultados, porque parte deles foram executados pelo Sporting. No caso da SAD deram-se informações falsas aos associado e à própria CMVM para a entrada na bolsa.
RECORD – Lembro-me que durante o mandato de José Roquette,você se revoltou com acordos que nunca ficaram esclarecidos, nomeadamente entre o Sporting e o FC Porto. Quer revelar pormenores em relação a isso?
JOÃO ROCHAHavia um projecto com o FC Porto que era muito prejudicial para o Sporting. Era mesmo inqualificável. Insurgi-me num Conselho Leonino e numa assembleia geral. Era um projecto gravíssimo que só podia sair da cabeça de um indivíduo sem responsabilidades. José Roquette dizia que era um projecto válido, porque era a única maneira de Sporting e FC Porto estarem sempre representados na Liga dos Campeões.
RECORD – Vai concretizar ou continuar a guardar trunfos?
JOÃO ROCHA – Não digo mais nada sobre isso. Foi falado no Conselho Leonino e eu disse ao líder da AG para mandar calar sobre essa informação, que foi longe demais. Disse-lhe ainda que o resumo do acordo com o FC Porto devia ser gravado de tão grave que era, porque talvez fosse necessário que essa gravação viesse a ser pública na defesa dos interesses do Sporting e dos seus sócios. Não vejo o desporto assim.